Bem - Vindos

O Programa de Aprendizagem Cooperativa em Células Estudantis é um programa de bolsas de monitoria da Pró-Reitoria de Graduação da UFC que tem como principal objetivo colaborar para o aumento da taxa de conclusão nos cursos de graduação da UFC.

A principal estratégia utilizada é a difusão de Células Estudantis - grupos de estudo que utilizam a metodologia de Aprendizagem Cooperativa.

[NEWSLETTER 05/2016] Cooperação e o Espaço Geográfico

Um pouco sobre cooperação e espaço geográfico
No último dia 14 de maio, aconteceu, no auditório da FEAAC, nossa reunião geral de Maio, e com ela, um dos destaques foi a oficina proposta pela bolsista Ruth Rios, da comissão de apoio interno, que tinha uma ideia bastante original, uma oficina que buscava compreender a cooperação dentro de aspectos geográficos.
A oficina consistia em, principalmente, nos fazer pensar a respeito do espaço que percorremos em nossa rotina e assim analisar onde e se há cooperatividade no caminho que tomamos todos os dias ao irmos para a universidade. Cada bolsista fez um desenho que mostrava o percurso físico percorrido de sua casa até o campus.Em seguida, foram organizados grupos de 5 para discutirem entre si os aspectos cooperativos presentes em suas respectivas trajetórias para que no final fossem compartilhados.
Conversamos um pouco com a idealizadora para nos apresentar um pouco do que foi proposto na última reunião.
Como surgiu a ideia de apresentar essa oficina?
A ideia surgiu de um artigo que o Prof. Hermany escreveu sobre os aspectos geográficos e a história da Samaria e consequentemente da parábola do bom samaritano contada por Jesus. Ele me convidou para desenvolver com ele a ideia e, ao longo do mês, acrescentamos várias coisas interessantes até chegarmos à região cooperativa, então finalizamos com o conceito de lateralidade, que foi a chave para desenvolver a Oficina. Acabei empregando muitas coisas que uso no dia a dia do meu curso, o que foi muito legal, pois pude ver o que aprendi na prática. Houveram algumas intempéries no dia de colocar a Oficina em prática, mas no fim, tudo ocorreu bem e o resultado foi muito satisfatório. Foi emocionante fazer um paralelo entre o meu curso e a aprendizagem cooperativa, isso me fez perceber que, todos nós podemos usar nossas habilidades aprendidas na bolsa para o nosso futuro profissional.
Nos fale um pouco sobre a oficina.
Nós usamos os conceitos geográficos em forma de linha do tempo e que explicou todos os recortes que usamos, desde a escola alemã que introduziu o conceito de lugar, a escola francesa que introduziu o de território,a escola americana que introduziu o de região, e finalizamos com as concepções atuais que são a de paisagem e o conceito de lateralidade.Além disso, usamos a aprendizagem cooperativa para aguçar o nosso olhar geográfico de forma cooperativa, pensar no outro, no nosso lugar!

Atenciosamente,
Arthur Alex
Comissão de Comunicação e Marketing



segunda-feira, 23 de maio de 2016
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 05/2016] Oficina de Pilares

Semana passada tivemos a primeira oficina realizada pela comissão de apoio à célula em parceria com os articuladores. A oficina de pilares (interdependência positiva e habilidades sociais), teve como público alvo os membros cadastrados das células e tinha o intuito de mostrar pros bolsistas o porquê da célula que ele participa ser estruturada do jeito que é, além de ser uma boa maneira de certificar os membros e aproximá-los do PACCE.
Coletamos alguns relatos dos envolvidos no projeto das oficinas: membro da comissão de apoio à célula, articulador e membro de célula.
O membro da comissão de apoio à célula Antônio Filho, relatou:
“Então, as primeiras oficinas foram realizadas com sucesso (embora tenham existido alguns problemas, deu tudo certo). Nossa comissão acredita que é de grande interesse dos articuladores ter uma espécie de incentivo para trazer cada vez mais membros para sua célula. Certificá-los por meio desse projeto foi a melhor forma que encontramos, por isso estamos dirigindo nossos esforços para esse caminho. Temos muito o que melhorar ainda, mas considerando que é a primeira vez que isso acontece no PACCE, contornar os problemas atuais e aprimorar nosso trabalho é uma das principais metas. Espero que todos estejam gostando dos momentos em sala, conhecer novas pessoas e liderar os encontros!”
A articuladora de célula Joyce Rocha, disse:
"As oficinas de pilares são muito proveitosas para todos os atuais articuladores. Acredito que elas colaboram para a melhor absorção dos pilares da aprendizagem cooperativa na vida de cada um. Elas preparam os articuladores para atuais eventos possíveis e divulgam o programa. Alguns pontos como responsabilidade individual são muito cobrados e assim trabalhados. É possível ver também a interdependência entre os articuladores e seus membros de células que participam das oficinas fazendo acontecer. É possível notar também, em outros momentos específicos, os outros pilares. Apesar de ter vários pontos positivos, a distribuição de horários para as oficinas às vezes não beneficiam e nem fazem render. Para alguns membros de célula os horários foram incompatíveis, mas fora esse problema, na minha perspectiva, todo o investimento nas oficinas é positivo. "
               A  Carol Saunders, membro da célula articulada pelo Emanoel Mota do curso de Engenharia Química, relatou:
“Eu adorei. Achei muito divertido, as pessoas maravilhosas, dispostas a te ouvir e a debater os assuntos sem ficar aquele clima chato. Eu saí adorando porque realmente gostei das pessoas que encontrei ali e essa opção de poder conhecer gente nova sempre vai ser algo ótimo pra mim.”
A partir desta experiência, a intenção é de que haja cada vez mais estruturação na realização das oficinas. E sim, outras estão por vir! Aguardem!

Isabela Horácio e Arthur Alex
Comissão de Comunicação e Marketing


Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 02/2016] Interação de RPG


Interações inovadoras: RPG Cooperativo
     Visando conhecer e divulgar melhor as interações que ocorrem no Programa de Aprendizagem Cooperativa em Células Estudantis, a Comissão de Comunicação e Marketing reuniu um depoimento e uma entrevista com pessoas que estão diretamente relacionadas à Interação de RPG Cooperativo. O facilitador de interação Lucas Gonçalves, responsável pela interação de RPG falou um pouco sobre sua história pessoal com o RPG, e a dinâmica dessa interação dentro do PACCE.

     Lucas Gonçalves:
Bem, a interação de RPG é uma atividade gratificante de ser realizada, porque jogo RPG desde meus sete anos de idade e hoje, 14 anos depois, tenho a oportunidade mostrar que um jogo tão complexo (não complicado) pode ser flexível, divertido e, ao mesmo, formador. Desde o ano passado encaremos o RPG como uma atividade de formação por meio da interação e nesse ano com a característica de que as pessoas podem "testar" um pouco da metodologia da Aprendizagem Cooperativa antes de se lançar em desafios maiores, então a ideia é de que, por meio da imaginação, possamos nos desenvolver em Aprendizagem Cooperativa. Contudo, ao mesmo tempo que isso acontece, o jogo dá autonomia para que a pessoa desenvolva seu personagem e, assim, desenvolva-se (personagens são inspirados nas pessoas) como achar mais interessante. Ela pode desenvolver um determinado pilar ou não, então acredito que a pessoa torna-se sujeito do próprio desenvolvimento.  Por causa desse projeto venho conhecendo pesquisadores do Brasil todo que estão pesquisando o RPG e suas influências nas mais diversas áreas.


Fizemos duas perguntas para a articuladora de célula Ligia sobre seu feedback em relação a essa interação.

Comissão de Comunicação e Marketing: Já conhecia o RPG?
Ligia: Não conhecia. Já tinha escutado sobre, mas não conseguia compreender, só quando comecei a participar das interações.

Comissão de Comunicação e Marketing: O que mais gosta nessa interação?

Ligia: Achei essa interação muito massa! Porque você estimula muita a imaginação e dá pra trabalhar muita coisa! Tipo, o Lucas trabalha com a Aprendizagem Cooperativa e tem caso de professores que utilizam como ferramenta da disciplina. Além disso, a gente cria uma relação muito legal com o grupo e acho superdivertido!

att. Pedro Henrique e Anderson Douglas
Comissão de Comunicação e Marketing
segunda-feira, 2 de maio de 2016
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 02/2016] A Competidora




           No último sábado (23), ocorreu a gravação do primeiro episódio de “A Competidora”, dirigida por alguns membros da comissão de comunicação e marketing. As gravações ocorreram no campus do Pici, no turno da manhã.
A novela a princípio tem o objetivo de proporcionar uma nova forma de interação, onde o articulador se sinta cada vez mais pertencente ao programa. Além do que, ela proporciona um estreitamento de laços entre comissões, promove uma forte interação face-a-face, e se analisarmos, é um ambiente favorável para aplicação e vivência de toda a metodologia da Aprendizagem Cooperativa.
Pra a realização dessa atividade, se fez necessária a ocupação do espaço de uma interação. No caso, o responsável pela mesma é o membro da comissão de interação, Diego Ribeiro. Em depoimento, ele afirma: “Foi um prazer gerenciar a gravação do primeiro episódio da novela "a competidora" como interação. A gravação teve um desafio muito grande de tirar bolsistas de seu conforto do sábado pela manhã para contribuir com tal interação e agradá-los. Creio que nosso objetivo nesse primeiro episódio foi concluído, tendo sido uma interação divertida e viável tanto na questão da metodologia do PACCE, quanto na viabilidade dele, ajudando quem precisou pagar horas por diversos motivos. Não posso dar mais detalhes sobre ela, vocês terão que ver como ficou na próxima reunião geral. (hihi) Me sinto bem feliz de poder fazer parte dessa direção e que venham os próximos episódios!”
          As gravações continuam e a novela terá a sua estréia na próxima reunião geral! Aguardem!

Att.,
Isabela Horácio e Fábio Rabelo.
Comissão de Comunicação e Marketing.
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 02/2016] Como a aprendizagem cooperativa pode nos ajudar profissionalmente?


Como a aprendizagem cooperativa pode nos ajudar profissionalmente?

     Como estudantes, somos constantemente desafiados a alcançar notas altas e assim adquirir uma boa base técnica e acadêmica para que possamos assim nos tornar bons profissionais. A universidade tem como objetivo formar mentes aptas em uma determinada área, e posteriormente contribuir para o crescimento do campo de estudos.  A excelência e conhecimento sempre devem ser buscados, é claro, no entanto, acabamos não sendo tão preparados para um ambiente real de trabalho.Isso ocorre por conta da rotina de estudos e provas que muitas vezes distancia de uma realidade que provavelmente o aluno enfrentará.
     Quem já foi a uma entrevista de emprego/estágio ou já fez parte de alguma empresa, conhece o mantra do trabalho em equipe. A habilidade de trabalhar em grupos heterogêneos, de saber lidar com pessoas e de ser protagonista e proativo é cada vez mais observada e desejada dentro do ambiente corporativo. O motivo de existirem os estágios (inclusive os supervisionados) éde proporcionar uma vivência prática ao estudante e, além disso, permitir com que ele aprenda a desenvolver as habilidades necessárias.

Habilidades sociais, trabalho em grupos heterogêneos, protagonismo...  Acho que isso me soa familiar.

     A aprendizagem cooperativa é um ótimo meio de se aprender e desenvolver esse tipo de atitude e habilidades. Claro que não substitui o estágio como experiência profissional, mas é algo que complementa. No estágio teremos o envolvimento direto com aárea que estudamos e já nos serão exigidas certas habilidades para que possamos exercer nossas funções da melhor forma possível. O objetivo na aprendizagem cooperativa é exatamente o desenvolvimento dessas competências.
     A AC possui uma metodologia que é completamente voltada ao trabalho em grupo (geralmente grupos bastante heterogêneos), onde nós como alunos somos levados a discutir problemas, gerenciar conflitos e atuar de forma protagonista para alcançar nossos objetivos.  Sendo assim, aprendemos na prática, através dos 5 pilares, a nos tornarmos pessoas mais fáceis de se trabalhar e aptas a liderar. Os conceitos encontrados nos pilares - apesar de não serem utilizados exatamente da forma como nós os abordamos na AC - estão de fato pulverizados na cultura empresarial do século XXI.
     A ideia de interdependência positiva está largamente empregada no pensamento moderno em que o chefe (hoje chamado de líder) é apenas um agente facilitador e que todo o trabalho não pode ser realizado sem a ajuda de todos os funcionários (colaboradores). Assim como cada área depende diretamente de outra para o sucesso do todo. Cada indivíduo é responsável por fazer a sua parte dentro do todo, e as grandes empresas fazem questão de enfatizar isso. Outra ideia amplamente utilizada é a realização periódica do feedback e da autoavaliação do grupo que também faz paralelo com o processamento de grupo da AC. Pessoas que sabem desenvolver suas habilidades sociais e gerenciar conflitos, se tornam mais almejadas em um ambiente corporativo, e isso é um fato.
     Fazer parte de um programa como a aprendizagem cooperativa é um grande passo para o desenvolvimento pessoal visando também o desenvolvimento profissional. Aproveitar as oportunidades por conta própria, desenvolver um projeto e articular um grupo, são coisas que dificilmente serão aprendidas em sala de aula, para a maioria das graduações. Conviver com pessoas dos mais diferentes cursos e backgrounds é algo extremamente enriquecedor, pois nossa mente evolui à medida que somos compelidos a lidar com o que é diferente e passamos a adotar outros pontos de vista.Ter um programa que é organizado por estudantes e para estudantes, fornece o ecossistema perfeito para o desenvolvimento da autonomia e do protagonismo (e por consequência da proatividade).
      A habilidade técnica e a experiência devem ser alcançadas por todos os estudantes e, além disso, é de grande importância buscar seu desenvolvimento pessoal e em grupo, pois são habilidades extremamente necessárias em nossa sociedade. Logo,não podemos nos prender apenas a uma boa colocação em uma empresa, como foi dito no texto , mas também é importante quenos tornemos pessoas cada vez melhores.

att. Arthur Alex
Comissão de Comunicação e Marketing




Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 01/2016] Você conhece a Aprendizagem Cooperativa?


O quanto você sabe sobre o surgimento da Aprendizagem Cooperativa?

          A grande maioria das pessoas que faz parte do programa de Aprendizagem Cooperativa, ou que de alguma forma já teve contato com esta, traz na ponta da língua uma definição sobre o que se trata a metodologia e sobre a existência dos 5 pilares (algumas dessas pessoas irão citá-los, inclusive).No entanto, é ainda mais provável que ao serem questionadas, muitas delas abordem aspectos mais gerais, como a cooperação versus competição, o sentimento de pertencimento, a criação de laços e a formação de grupos, por exemplo.Apesar desses pontos retratarem muito bem o que é a AC (Aprendizagem Cooperativa), pouca gente sabe exatamente de onde a ideia vem ou como ela surgiu eprincipalmente os estudos que a embasam. Pensando nisso, preparamos um pequeno texto sobre a trajetória da AC, até a forma como a conhecemos hoje.

Há muito tempo atrás...

           As ideias da aprendizagem cooperativa remontam 400 antes de Cristo, mais especificamente com o famoso filósofo ateniense Sócrates que já ensinava a arte do discurso em pequenos grupos de discussão.  No início da era cristã, podemos destacar o filósofo romano Sêneca, “um dos mais célebres advogados, escritores e intelectuais do Império Romano”, já advogando a aprendizagem cooperativa com a famosa frase “quidocetdiscit”, que significa “Aquele que ensina, aprende”.  Já no renascimento, se destaca o bispo protestante Checo, Johann Amos Comenius que acreditava que aprendíamos tanto ensinando com sendo ensinados pelos outros.
Johann Amos Comenius acreditava que também aprendíamos ensinando.


As bases de uma sociedade democrática

           Finalmente no início do século XIX, a ideia foi exportada para o continente americano através da fundação da escola Lancaster, em Nova York. Só então a AC passou a ser estudada e sistematizada como uma metodologia sólida, buscando uma maior aplicabilidade e maior fundamentação teórica.
Em 1830, se deu início a um movimento americano conhecido como “Common SchollMoviment” onde se buscava uma reforma na ideia de educação como algo universal, esse movimento construiu a base do sistema atual de ensino público norte-americano e possuía uma forte base em AC.

Primórdios do Common School Moviment

           Já no final do século, o Coronel Francis Parker se utilizou da AC como forma de facilitar o desenvolvimento de uma sociedade verdadeiramente cooperativa e democrática.
Nas primeiras décadas do século 20, John Dewey, filósofo, psicólogo e reformador educacional norte-americano, promoveu o uso de grupos de Aprendizagem Cooperativa como parte de seu método.


Devido a fatores econômicos e sociais, a competição era extremamente estimulada nos anos 50

           A metodologia engatinhava aos poucos se desenvolvia em território americano, no entanto com o fim dos anos 30, devido a fatores econômicos, uma exagerada competição interpessoal e a ênfase no individualismo quase sepultaram a metodologia.Ainda que nos anos 50 a competição já fosse significativamente estimulada como a melhor forma de se obter resultados na aprendizagem e de se interagir com os estudantes.

O renascimento

         Só então, em meados dos anos 70, diversos pensadores norte-americanos retornaram ao estudo e utilização da metodologia, dentre eles os que mais se destacam são os irmãos e professores da Universidade de Minnesota, em Minneapolis, David W. Johnson (psicólogo social) e Roger T. Johnson (pesquisador educacional). A partir de pesquisas sobre a interação estudante-estudante e suas relações com o processo de aprendizagem, e fundamentados na obra do psicólogo social MortonDeutch, eles criaram a base da atual Aprendizagem Cooperativa. Por meio de pesquisas e projetos práticos, a metodologia continua a ser desenvolvida até hoje no Centro de aprendizagem cooperativa da universidade de Minesota ensinando os conceitos-base da efetiva interação discente para que os educadores possam modificar e adaptar os princípios básicos da metodologia para a sua própria realidade.

David W. Johnson e Roger T. Johnson respectivamente

          Essa base criada nos anos 70 é a que posteriormente passou a ser utilizada no Brasil e que é adotada hoje na Universidade Federal do Ceará, com algumas pequenas adições e adaptações ao conceito desenvolvido pelos irmãos Johnson.

Att.,
Arthur Alex
Revisão: Bianca Bezerra
Comunicação e Marketing




sexta-feira, 22 de abril de 2016
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 01/2016] Arraiá da Aprendizagem Cooperativa

Arraiá e Quadrilha PACCE 2016

          Você ai já sabe que vai acontecer um evento de encerramento do semestre do PACCE? Não? No dia 24 de Junho acontecerá o Arraiá da Aprendizagem Cooperativa. Saiba como andam os preparativos e mais informações sobre esse evento, chega para cá!
          Como de costume, todos os anos ao final do primeiro semestre letivo, temos um evento para celebrarmos os resultados alcançados e reunirmos com as pessoas que marcaram esse tempo de aprendizado, mudança de pensamento e de novas experiências. Com o intuito de reafirmar esses laços, no dia 24 de Junho, acontecerá o Arraiá da Aprendizagem Cooperativa que está sendo organizado pelo Projeto Eventos, constituído pelos esforçados Anderson Tavares, Guilherme Lima, Amanda Lívia e Caio Sérvulo, e os preparativos já estão a todo favor! Uma festa junina que, em sua tradição, traça um perfil de identidade tipicamente brasileira, aproveitando a oportunidade festiva como forma de agradecimento pelas chuvas, que servem para manter a agricultura, torna-se uma forma ideal de celebrarmos nossos laços criados nesse semestre.
          E, pensando nesse evento, já estão acontecendo ensaios todas as terças e quintas-feira da Quadrilha PACCE 2016, que está contando e agradecendo desde já com o esforço de cada um que está assumindo esta responsabilidade.  Além da quadrilha, terá muita música, muitas brincadeiras, comidas típicas. Aguarde por mais informações e qualquer dúvida, sugestão ou vontade de participar em algum desses processos, falar com um dos responsáveis pelo Projeto Eventos.

Att.,
Deibyson Uchôa
Comunicação e Marketing
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 01/2016] Dificuldades ao estruturar uma célula


         Dificuldades ao estruturar uma célula.

Começar algo é sempre um desafio. E dentro do projeto de Aprendizagem Cooperativa, iniciar uma célula também é uma tarefa árdua. Por isso, alguns articuladores foram entrevistados, com o intuito de perceber quais os maiores obstáculos nesse processo.

Em entrevista, Barbara Cassetari - articuladora responsável pela célula “Cine Gastronomia”- relatou que sua maior dificuldade está sendo a obtenção dos insumos necessários e achar um horário em comum para os membros.


Rubataiana Menezes - articuladora responsável pela célula “Antropologia da Alimentação”, afirmou que está enfrentando problemas quanto à aceitação do tema por parte dos futuros membros, por ser uma temática ainda pouco trabalhada na sua área.


Rayssa Lariella – articuladora reponsável pela célula “Engenharia Cooperativa”, está tendo dificuldades ao encontrar horários em comum entre os membros e em divulgar a sua célula.
            Tendo em vista estes empecilhos, algumas estratégias de superação foram citadas, como: conversar acerca da importância da temática; entrar em comum acordo acerca dos horários da célula; e procurar auxílio na divulgação.
            É notório que muitos articuladores estão na mesma situação que as bolsistas entrevistadas e por isso, faz-se necessário um reforço no aviso de que: todas as comissões estão aptas e dispostas a ajudá-los no que for preciso na construção de sua célula. Fiquem à vontade para recorrer a qualquer uma das comissões e não se preocupem, vai dar tudo certo!

Att.,
Isabela Horácio e Fábio Rabelo
Revisão de Texto: Bianca Bezerra
Comissão de Comunicação e Marketing

Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 01/2016] Acompanhando a formação


Acompanhando a formação

Com um intuito de acompanhar o processo de formação dos articuladores de célula, visitamos algumas formações que ocorrem semanalmente e, em uma dessas, realizamos uma entrevista com um dos bolsistas.

O articulador João Batista forneceu à Comissão de Comunicação e Marketing seu feedback sobre a formação da qual faz parte. Ele falou um pouco sobre a dinâmica entre os seus formadores e o grupo de articuladores dessa formação, e também sobre os temas abordados e atividades que ocorrem durante os encontros.

Sobre os Facilitadores de Formação:
“Eles nos ajudam bastante, principalmente no nosso projeto de célula de estudos em grupo. Eles também criam um ambiente ideal para que haja interação entre os membros da formação, através de atividades de interação  diversas e utilizando também, sempre que possível, a oficina de Roda Viva para que o grupo conheça melhor cada integrante da formação.”

Sobre os membros (articuladores) dessa formação:
“Assim, todo mundo do grupo interage. Na minha formação tem umas 13 pessoas, eu acabei conhecendo alguns através das atividades semanais de interação, tem também duas meninas que são da mesma oficina de História de Vida que eu. Lá todo mundo fala com todo mundo.”

Sobre as atividades realizadas durante a formação:
“No começo nós vimos toda a estrutura e etapas necessárias para se montar um projeto de célula de estudo. Agora nós estamos aprendendo mais sobre cada pilar da Aprendizagem Cooperativa. Até agora, estamos na semana 5, vimos os pilares de Interdependência Positiva e Responsabilidade Individual, e na próxima segunda nós veremos mais um pilar da Aprendizagem Cooperativa.”

Att.,
Pedro Henrique
Comunicação e Marketing
Postado por PACCE UFC

[CADASTRO] [SITE] Inscrição no site

Atenção! Informamos que TODOS os inscritos no programa(efetivos e voluntários) devem concluir a sua inscrição no site, incluindo a foto. O cadastramento é de extrema importância e deve ser feito o quanto antes.





Att.,
Arthur Alex
Comissão de Comunicação
quarta-feira, 30 de março de 2016
Postado por PACCE UFC

Calendário PACCE

Calendário PACCE
Clique na imagem para acessar nossa agenda!
Pró-Reitoria de Graduação da UFC
Coordenadoria de Formação e Aprendizagem Cooperativa (COFAC)
Coordenadora: Prof.ª Dra. Tereza Cristina Batista De Lima
Contatos: pacce@prograd.ufc.br
+55 (85) 3366-9444

Posts Populares

Coodenadoria de Formação e Aprendizgem Cooperativa. Todos os Direitos Reservados. Tecnologia do Blogger.

Arquivo do Blog

- Copyright © PACCE UFC -PACCE- Powered by Blogger - Designed by Lincoln00 -