Bem - Vindos

O Programa de Aprendizagem Cooperativa em Células Estudantis é um programa de bolsas de monitoria da Pró-Reitoria de Graduação da UFC que tem como principal objetivo colaborar para o aumento da taxa de conclusão nos cursos de graduação da UFC.

A principal estratégia utilizada é a difusão de Células Estudantis - grupos de estudo que utilizam a metodologia de Aprendizagem Cooperativa.

[NEWSLETTER 10/2016] Arraiá da Cooperação


São João, dia de festa, boa comida e por que não cooperação? Nesse último dia 24, no centro de convivência do instituto de cultura e arte da UFC, nosso arraiá anual foi realizado com o apoio e a dedicação de todos os membros do programa de aprendizagem cooperativa.

Mais do que destacar o resultado (que foi muito bom, diga-se de passagem), o mais importante de toda a festa foi ver o quanto cada um se empenhou para que isso fosse possível, desde a própria organização de eventos passando por todos os articuladores que se esforçaram para que pudéssemos arrecadar fundos necessários, não só para o evento, mas para futuras necessidades do programa. 



Muito antes da noite do dia 24, pudemos testemunhar o esforço por parte dos membros da quadrilha e da banda PACCE que ensaiaram durante meses para que pudessem apresentar a melhor performance possível, e os que se propuseram a ajudar com maquiagens, vestimentas e penteados, dando suporte à quadrilha apenas com o intuito de ajudar. Vimos o trabalho realizado no dia da festa, começando bem cedo no dia, com arrumação das cadeiras, som, mesas, transporte das comidas, e também todo o trabalho de divulgação que começou vários dias antes. A lista de pessoas que tornaram isso possível só cresce, e isso deixa cada vez mais claro a nossa metodologia em prática e os pilares postos em ação. 



Não vemos aqui apenas a organização de uma festa, mas o retrato do que é cooperação e do que o programa realmente se trata, alunos protagonistas, unidos para a construção de um objetivo comum no qual todos fazem parte, cada um, independente de ser articulador, membro de comissão ou coordenador, trabalhando juntos para que assim possamos alcançar nossos objetivos.

Arthur Alex
Comissão de Comunicação e Marketing


segunda-feira, 27 de junho de 2016
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 09/2016] Projeto Acervo


Um dos projetos vigentes atualmente no PACCE é o Projeto Acervo. Para falar um pouco sobre ele, recorremos a um dos bolsistas responsáveis pela sua execução. O facilitador Idalécio Sales que cursa o 3º semestre de Engenharia de Alimentos, nos relatou que: "O projeto acervo surgiu à partir da observação das dificuldades referentes à construção dos artigos para os encontros universitários. Como existem muitos bolsistas que não possuem um contato com o trabalho acadêmico e com a aprendizagem cooperativa de maneira mais teórica, o tempo acaba por ser mal administrado, evitando que os autores pudessem buscar aperfeiçoar suas pesquisas e focar em questões pertinentes. Desse modo, as atividades eram focadas para escolher autores e obras ou para se familiarizar com o modelo de trabalho utilizado no meio acadêmico. Desta maneira, foi criada a proposta de divulgar artigos revisados como uma maneira de aconselhar autores e obras sobre diversos assuntos, divulgar modelos de artigos e, posteriormente, construir um local de referência para obras publicadas da Aprendizagem Cooperativa." Atualmente o projeto conta com 3 integrantes que dividem 3 artigos por semana para leitura e construção de sinopses. Estes artigos se encontram na página inicial de nosso site.

segunda-feira, 20 de junho de 2016
Postado por PACCE UFC

[ATENÇÃO] [SITE] Site do PACCE fora do ar


[ATENÇÃO]
Devido á realocação do site para o servidor da UFC, o site não estará disponível a partir de hoje ás 23h (08/06) e durante os dias 9/06 e 10/06, as inscrições das interações serão feitas no sábado(11/06) e a folha irá fechar dia 16/06, façam suas reposições e atividades a partir do dia 11/06 diretamente no site.
Att, Apoio Interno e Projeto Site.
P.S.: Qualquer dúvida contate-nos por e-mail:
 pacce@prograd.ufc.br
 pacce.monitoria@prograd.ufc.br!

Att.,
Comissão de apoio interno
quarta-feira, 8 de junho de 2016
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 07/2016] Inclusão e Acessibilidade


Acessibilidade e Inclusão
No dia 04 de março (último sábado), mais uma reunião geral do PACCE acontecia, e nessa manhã específica, entre interações e divulgação de informações, tivemos a oportunidade de aprender um pouco mais sobre o que é acessibilidade pela boca de quem realmente se dedica a isso. Nesse dia, contamos com a presença da professora Vanda Magalhães Leitão, doutora em educação brasileira pela Universidade Federal do Ceará com ênfase no estudo sobre a educação de surdos, atualmente é diretora da Secretaria de Acessibilidade (UFC Inclui).
Como não poderia deixar de ser, toda a palestra foi interpretada para a língua brasileira de sinais pelos alunos do Curso de Letras/Libras Paulo VitorVilela e Jéssica Paula Aragão, também membros do programa de aprendizagem cooperativa.
Logo de cara, em sua palestra, a professora Vanda mencionou o quanto a metodologia da aprendizagem cooperativa tem em comum e acrescenta ao tema da acessibilidade. Mais importante que falar da sua formação acadêmica e carreira como professora, seu discurso foi pautado em sua experiência de vida e na evolução da sociedade em relação ao tema. Por ter uma sobrinha surda, enfrentou diversos desafios e preconceitos, inclusive pela própria comunidade médica que ainda tinha pouco conhecimento sobre o diagnóstico de surdez na infância.
Durante toda a sua palestra, ficou claro que a história das pessoas com deficiência é marcada por tristeza, isolamento e diagnósticos errôneos, mas também muita superação.
“O surdo não é menos inteligente, não é menos capaz, ele é apenas diferente como todos nós somos”
Por muitos anos a pessoa com deficiência foi vista como alguém ineficiente e incapaz, e assim como a própria professora narra, durante muito tempo, muitos eram alocados em trabalhos repetitivos e de favor, não pelo fato de poderem exercer outras funções, mas por falta de condições necessárias e por puro preconceito.  Felizmente percebemos uma pequena evolução no decorrer dos anos e é cada vez mais claro ver onde pessoas com deficiência conseguem chegar quando as condições e adaptações se fazem presentes,ganhando o espaço que sempre foi deles, mas que infelizmente lhes foi negado.  Um dos momentos mais marcantes da palestra foi no momento em que a professora contou sobre o seu marido cego, que desde muito jovem queria exercer a medicina, e com seu esforço, apoio da família e compreensão dos alunos da faculdade acabou se tornando um psiquiatra de referência, conhecido em todo o país, sepultando assim toda e qualquer dúvida sobre a capacidade de alguém em condições de deficiência física.
“Ele queria ser cirurgião cardíaco, mas infelizmente isso ele não poderia fazer, mas a cegueira não seria empecilho para seguir a profissão de medicina”
O preconceito por parte da sociedade faz com que ela acabe fechando os olhos para as diferenças. Uma pessoa com deficiência apenas precisa de algumas adaptações para que assim realize todas as suas atividades de forma eficiente e digna, como qualquer outra pessoa. São pequenas mudanças e adaptações que fazem a grande diferença para uma pessoa com deficiência, e que muitas vezes a grande “maioria”que não possuem essas necessidades especiais acabam não parando para pensar na sua importância. A luta por um mundo mais acessível deve ser a luta de todo o cidadão,  de exigir que seu espaço de trabalho, estudos ou de lazer seja includente e não o oposto, por esse motivo a secretaria de acessibilidade é tão importante, assim como a constante discussão sobre o tema.
Infelizmente, temos que aprender muito, e caminhar bastante para um mundo mais acessível.Não se trata de privilégios, mas sim de direitos.O direito de qualquer pessoa tem de ir e vir, o direito de aprender, e a liberdade pela busca da felicidade.Todos somos diferentes, somos únicos, a deficiência é só mais uma nesse montante de diferenças que nos faz ser indivíduos, e nunca devemos nos esquecer disso.O inimigo não é a deficiência e sim o preconceito. Essa é a mensagem final e o sabor que a palestra nos deixou.

“O sentimento maior foi o de empatia, colocar-se no lugar do outro. A maior deficiência não está nas pessoas, mas sim na sociedade (preconceito) e nos ambientes (falta de acessibilidade)"
Vitor Vilela, Aluno do Curso de Letras/ Libras e membro de comissão do projeto Acessibilidade no Pacce

A Secretaria de Acessibilidade - UFC Inclui está localizada na Av. da Universidade, 2683 - Bloco 4 - Área 1 - Centro de Humanidades - (Prédio da Biblioteca de Ciências Humanas)
Para mais informações:
Fone: (85) 3366 7660 / 3366 7908
E-mail: ufcinclui@acessibilidade.ufc.br
Site: www.acessibilidade.ufc.br
Página do Facebook
https://www.facebook.com/acessibilidadeufc/

Arthur Alex
Comissão de Comunicação e Marketing

segunda-feira, 6 de junho de 2016
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 07/2016] São João PACCE!




Mês de Junho é mês de festa. É mês de São João! E como toda festa, é um momento de celebrar. Nossa celebração de resultados deste semestre aproveitará o arrastapé deste mês junino, com muita brincadeira e comida típica. Para a realização de tal, contamos com a cooperação de todos.
A quadrilha está se preparando. Toda semana há dois dias de ensaio, realizados no ICA, no horário de almoço. Mas para ela ficar ainda mais linda, precisamos arrecadar fundos para as roupas, adereços e decoração da nossa festa. A Comissão de Eventos já promoveu o primeiro pedágio - onde arrecadaram 15% da meta; e também foram vendidas comidas na nossa última reunião geral. Como ainda precisamos de mais para alcançarmos nossa meta, ainda serão promovidos outros pedágios, venda de rifas etc. Para isto, precisamos da participação de vocês!
O nosso São João será dia 24 de Junho às 17h, no Centro de Convivência do Campus do Pici.
Está tudo sendo preparado com muito cuidado e amor para nós.
Quem quiser ajudar na organização, decoração, barracas de brincadeira e comida, é só entrar em contato com o Anderson, a Amanda ou o Guilherme (Comissão de Eventos).


Isabela Horácio

Comissão de Comunicação e Marketing

Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 05/2016] Cooperação e o Espaço Geográfico

Um pouco sobre cooperação e espaço geográfico
No último dia 14 de maio, aconteceu, no auditório da FEAAC, nossa reunião geral de Maio, e com ela, um dos destaques foi a oficina proposta pela bolsista Ruth Rios, da comissão de apoio interno, que tinha uma ideia bastante original, uma oficina que buscava compreender a cooperação dentro de aspectos geográficos.
A oficina consistia em, principalmente, nos fazer pensar a respeito do espaço que percorremos em nossa rotina e assim analisar onde e se há cooperatividade no caminho que tomamos todos os dias ao irmos para a universidade. Cada bolsista fez um desenho que mostrava o percurso físico percorrido de sua casa até o campus.Em seguida, foram organizados grupos de 5 para discutirem entre si os aspectos cooperativos presentes em suas respectivas trajetórias para que no final fossem compartilhados.
Conversamos um pouco com a idealizadora para nos apresentar um pouco do que foi proposto na última reunião.
Como surgiu a ideia de apresentar essa oficina?
A ideia surgiu de um artigo que o Prof. Hermany escreveu sobre os aspectos geográficos e a história da Samaria e consequentemente da parábola do bom samaritano contada por Jesus. Ele me convidou para desenvolver com ele a ideia e, ao longo do mês, acrescentamos várias coisas interessantes até chegarmos à região cooperativa, então finalizamos com o conceito de lateralidade, que foi a chave para desenvolver a Oficina. Acabei empregando muitas coisas que uso no dia a dia do meu curso, o que foi muito legal, pois pude ver o que aprendi na prática. Houveram algumas intempéries no dia de colocar a Oficina em prática, mas no fim, tudo ocorreu bem e o resultado foi muito satisfatório. Foi emocionante fazer um paralelo entre o meu curso e a aprendizagem cooperativa, isso me fez perceber que, todos nós podemos usar nossas habilidades aprendidas na bolsa para o nosso futuro profissional.
Nos fale um pouco sobre a oficina.
Nós usamos os conceitos geográficos em forma de linha do tempo e que explicou todos os recortes que usamos, desde a escola alemã que introduziu o conceito de lugar, a escola francesa que introduziu o de território,a escola americana que introduziu o de região, e finalizamos com as concepções atuais que são a de paisagem e o conceito de lateralidade.Além disso, usamos a aprendizagem cooperativa para aguçar o nosso olhar geográfico de forma cooperativa, pensar no outro, no nosso lugar!

Atenciosamente,
Arthur Alex
Comissão de Comunicação e Marketing



segunda-feira, 23 de maio de 2016
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 05/2016] Oficina de Pilares

Semana passada tivemos a primeira oficina realizada pela comissão de apoio à célula em parceria com os articuladores. A oficina de pilares (interdependência positiva e habilidades sociais), teve como público alvo os membros cadastrados das células e tinha o intuito de mostrar pros bolsistas o porquê da célula que ele participa ser estruturada do jeito que é, além de ser uma boa maneira de certificar os membros e aproximá-los do PACCE.
Coletamos alguns relatos dos envolvidos no projeto das oficinas: membro da comissão de apoio à célula, articulador e membro de célula.
O membro da comissão de apoio à célula Antônio Filho, relatou:
“Então, as primeiras oficinas foram realizadas com sucesso (embora tenham existido alguns problemas, deu tudo certo). Nossa comissão acredita que é de grande interesse dos articuladores ter uma espécie de incentivo para trazer cada vez mais membros para sua célula. Certificá-los por meio desse projeto foi a melhor forma que encontramos, por isso estamos dirigindo nossos esforços para esse caminho. Temos muito o que melhorar ainda, mas considerando que é a primeira vez que isso acontece no PACCE, contornar os problemas atuais e aprimorar nosso trabalho é uma das principais metas. Espero que todos estejam gostando dos momentos em sala, conhecer novas pessoas e liderar os encontros!”
A articuladora de célula Joyce Rocha, disse:
"As oficinas de pilares são muito proveitosas para todos os atuais articuladores. Acredito que elas colaboram para a melhor absorção dos pilares da aprendizagem cooperativa na vida de cada um. Elas preparam os articuladores para atuais eventos possíveis e divulgam o programa. Alguns pontos como responsabilidade individual são muito cobrados e assim trabalhados. É possível ver também a interdependência entre os articuladores e seus membros de células que participam das oficinas fazendo acontecer. É possível notar também, em outros momentos específicos, os outros pilares. Apesar de ter vários pontos positivos, a distribuição de horários para as oficinas às vezes não beneficiam e nem fazem render. Para alguns membros de célula os horários foram incompatíveis, mas fora esse problema, na minha perspectiva, todo o investimento nas oficinas é positivo. "
               A  Carol Saunders, membro da célula articulada pelo Emanoel Mota do curso de Engenharia Química, relatou:
“Eu adorei. Achei muito divertido, as pessoas maravilhosas, dispostas a te ouvir e a debater os assuntos sem ficar aquele clima chato. Eu saí adorando porque realmente gostei das pessoas que encontrei ali e essa opção de poder conhecer gente nova sempre vai ser algo ótimo pra mim.”
A partir desta experiência, a intenção é de que haja cada vez mais estruturação na realização das oficinas. E sim, outras estão por vir! Aguardem!

Isabela Horácio e Arthur Alex
Comissão de Comunicação e Marketing


Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 02/2016] Interação de RPG


Interações inovadoras: RPG Cooperativo
     Visando conhecer e divulgar melhor as interações que ocorrem no Programa de Aprendizagem Cooperativa em Células Estudantis, a Comissão de Comunicação e Marketing reuniu um depoimento e uma entrevista com pessoas que estão diretamente relacionadas à Interação de RPG Cooperativo. O facilitador de interação Lucas Gonçalves, responsável pela interação de RPG falou um pouco sobre sua história pessoal com o RPG, e a dinâmica dessa interação dentro do PACCE.

     Lucas Gonçalves:
Bem, a interação de RPG é uma atividade gratificante de ser realizada, porque jogo RPG desde meus sete anos de idade e hoje, 14 anos depois, tenho a oportunidade mostrar que um jogo tão complexo (não complicado) pode ser flexível, divertido e, ao mesmo, formador. Desde o ano passado encaremos o RPG como uma atividade de formação por meio da interação e nesse ano com a característica de que as pessoas podem "testar" um pouco da metodologia da Aprendizagem Cooperativa antes de se lançar em desafios maiores, então a ideia é de que, por meio da imaginação, possamos nos desenvolver em Aprendizagem Cooperativa. Contudo, ao mesmo tempo que isso acontece, o jogo dá autonomia para que a pessoa desenvolva seu personagem e, assim, desenvolva-se (personagens são inspirados nas pessoas) como achar mais interessante. Ela pode desenvolver um determinado pilar ou não, então acredito que a pessoa torna-se sujeito do próprio desenvolvimento.  Por causa desse projeto venho conhecendo pesquisadores do Brasil todo que estão pesquisando o RPG e suas influências nas mais diversas áreas.


Fizemos duas perguntas para a articuladora de célula Ligia sobre seu feedback em relação a essa interação.

Comissão de Comunicação e Marketing: Já conhecia o RPG?
Ligia: Não conhecia. Já tinha escutado sobre, mas não conseguia compreender, só quando comecei a participar das interações.

Comissão de Comunicação e Marketing: O que mais gosta nessa interação?

Ligia: Achei essa interação muito massa! Porque você estimula muita a imaginação e dá pra trabalhar muita coisa! Tipo, o Lucas trabalha com a Aprendizagem Cooperativa e tem caso de professores que utilizam como ferramenta da disciplina. Além disso, a gente cria uma relação muito legal com o grupo e acho superdivertido!

att. Pedro Henrique e Anderson Douglas
Comissão de Comunicação e Marketing
segunda-feira, 2 de maio de 2016
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 02/2016] A Competidora




           No último sábado (23), ocorreu a gravação do primeiro episódio de “A Competidora”, dirigida por alguns membros da comissão de comunicação e marketing. As gravações ocorreram no campus do Pici, no turno da manhã.
A novela a princípio tem o objetivo de proporcionar uma nova forma de interação, onde o articulador se sinta cada vez mais pertencente ao programa. Além do que, ela proporciona um estreitamento de laços entre comissões, promove uma forte interação face-a-face, e se analisarmos, é um ambiente favorável para aplicação e vivência de toda a metodologia da Aprendizagem Cooperativa.
Pra a realização dessa atividade, se fez necessária a ocupação do espaço de uma interação. No caso, o responsável pela mesma é o membro da comissão de interação, Diego Ribeiro. Em depoimento, ele afirma: “Foi um prazer gerenciar a gravação do primeiro episódio da novela "a competidora" como interação. A gravação teve um desafio muito grande de tirar bolsistas de seu conforto do sábado pela manhã para contribuir com tal interação e agradá-los. Creio que nosso objetivo nesse primeiro episódio foi concluído, tendo sido uma interação divertida e viável tanto na questão da metodologia do PACCE, quanto na viabilidade dele, ajudando quem precisou pagar horas por diversos motivos. Não posso dar mais detalhes sobre ela, vocês terão que ver como ficou na próxima reunião geral. (hihi) Me sinto bem feliz de poder fazer parte dessa direção e que venham os próximos episódios!”
          As gravações continuam e a novela terá a sua estréia na próxima reunião geral! Aguardem!

Att.,
Isabela Horácio e Fábio Rabelo.
Comissão de Comunicação e Marketing.
Postado por PACCE UFC

[NEWSLETTER 02/2016] Como a aprendizagem cooperativa pode nos ajudar profissionalmente?


Como a aprendizagem cooperativa pode nos ajudar profissionalmente?

     Como estudantes, somos constantemente desafiados a alcançar notas altas e assim adquirir uma boa base técnica e acadêmica para que possamos assim nos tornar bons profissionais. A universidade tem como objetivo formar mentes aptas em uma determinada área, e posteriormente contribuir para o crescimento do campo de estudos.  A excelência e conhecimento sempre devem ser buscados, é claro, no entanto, acabamos não sendo tão preparados para um ambiente real de trabalho.Isso ocorre por conta da rotina de estudos e provas que muitas vezes distancia de uma realidade que provavelmente o aluno enfrentará.
     Quem já foi a uma entrevista de emprego/estágio ou já fez parte de alguma empresa, conhece o mantra do trabalho em equipe. A habilidade de trabalhar em grupos heterogêneos, de saber lidar com pessoas e de ser protagonista e proativo é cada vez mais observada e desejada dentro do ambiente corporativo. O motivo de existirem os estágios (inclusive os supervisionados) éde proporcionar uma vivência prática ao estudante e, além disso, permitir com que ele aprenda a desenvolver as habilidades necessárias.

Habilidades sociais, trabalho em grupos heterogêneos, protagonismo...  Acho que isso me soa familiar.

     A aprendizagem cooperativa é um ótimo meio de se aprender e desenvolver esse tipo de atitude e habilidades. Claro que não substitui o estágio como experiência profissional, mas é algo que complementa. No estágio teremos o envolvimento direto com aárea que estudamos e já nos serão exigidas certas habilidades para que possamos exercer nossas funções da melhor forma possível. O objetivo na aprendizagem cooperativa é exatamente o desenvolvimento dessas competências.
     A AC possui uma metodologia que é completamente voltada ao trabalho em grupo (geralmente grupos bastante heterogêneos), onde nós como alunos somos levados a discutir problemas, gerenciar conflitos e atuar de forma protagonista para alcançar nossos objetivos.  Sendo assim, aprendemos na prática, através dos 5 pilares, a nos tornarmos pessoas mais fáceis de se trabalhar e aptas a liderar. Os conceitos encontrados nos pilares - apesar de não serem utilizados exatamente da forma como nós os abordamos na AC - estão de fato pulverizados na cultura empresarial do século XXI.
     A ideia de interdependência positiva está largamente empregada no pensamento moderno em que o chefe (hoje chamado de líder) é apenas um agente facilitador e que todo o trabalho não pode ser realizado sem a ajuda de todos os funcionários (colaboradores). Assim como cada área depende diretamente de outra para o sucesso do todo. Cada indivíduo é responsável por fazer a sua parte dentro do todo, e as grandes empresas fazem questão de enfatizar isso. Outra ideia amplamente utilizada é a realização periódica do feedback e da autoavaliação do grupo que também faz paralelo com o processamento de grupo da AC. Pessoas que sabem desenvolver suas habilidades sociais e gerenciar conflitos, se tornam mais almejadas em um ambiente corporativo, e isso é um fato.
     Fazer parte de um programa como a aprendizagem cooperativa é um grande passo para o desenvolvimento pessoal visando também o desenvolvimento profissional. Aproveitar as oportunidades por conta própria, desenvolver um projeto e articular um grupo, são coisas que dificilmente serão aprendidas em sala de aula, para a maioria das graduações. Conviver com pessoas dos mais diferentes cursos e backgrounds é algo extremamente enriquecedor, pois nossa mente evolui à medida que somos compelidos a lidar com o que é diferente e passamos a adotar outros pontos de vista.Ter um programa que é organizado por estudantes e para estudantes, fornece o ecossistema perfeito para o desenvolvimento da autonomia e do protagonismo (e por consequência da proatividade).
      A habilidade técnica e a experiência devem ser alcançadas por todos os estudantes e, além disso, é de grande importância buscar seu desenvolvimento pessoal e em grupo, pois são habilidades extremamente necessárias em nossa sociedade. Logo,não podemos nos prender apenas a uma boa colocação em uma empresa, como foi dito no texto , mas também é importante quenos tornemos pessoas cada vez melhores.

att. Arthur Alex
Comissão de Comunicação e Marketing




Postado por PACCE UFC

Calendário PACCE

Calendário PACCE
Clique na imagem para acessar nossa agenda!
Pró-Reitoria de Graduação da UFC
Coordenadoria de Formação e Aprendizagem Cooperativa (COFAC)
Coordenadora: Prof.ª Dra. Tereza Cristina Batista De Lima
Contatos: pacce@prograd.ufc.br
+55 (85) 3366-9444

Posts Populares

Coodenadoria de Formação e Aprendizgem Cooperativa. Todos os Direitos Reservados. Tecnologia do Blogger.

Arquivo do Blog

- Copyright © PACCE UFC -PACCE- Powered by Blogger - Designed by Lincoln00 -